Setembro Amarelo: mês de prevenção ao suicídio

O tema é complexo, delicado e cheio de tabus, mas não pode ser ignorado pela sociedade. As razões podem ser bem diferentes, porém muito mais gente do que se imagina já pensou em suicídio. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 800 mil pessoas morrem todos os anos por atentarem contra a própria vida, o que corresponde a uma morte a cada 40 segundos. A cada morte, pelo menos seis pessoas são impactadas diretamente. A consequência é alarmante: um em cada dez brasileiros com mais de 18 anos já recebeu diagnóstico de depressão, segundo o Plano Nacional de Saúde divulgado em 2020.

Segundo estudo realizado pela Unicamp, 17% dos brasileiros, em algum momento, pensaram seriamente em dar um fim à própria vida e, desses, 4,8% chegaram a elaborar um plano para isso. Em muitos casos, é possível evitar que esses pensamentos suicidas se tornem realidade.

A primeira medida preventiva é a educação. Durante muito tempo, falar sobre suicídio foi um tabu, havia medo de se falar sobre o assunto. De uns tempos para cá, especialmente depois da campanha Setembro Amarelo, esta barreira foi derrubada e informações ligadas ao tema passaram a ser compartilhadas, possibilitando que as pessoas possam ter acesso a recursos de prevenção. Saber quais as principais causas e as formas de ajudar pode ser o primeiro passo para reduzir as taxas de suicídio no Brasil, onde atualmente 32 pessoas por dia tiram a própria vida.

É preciso ficarmos atentos ao isolamento, mudanças marcantes de hábitos, perda de interesse por atividades de que a pessoa gostava, descuido com a aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite, frases como: “preferia estar morto” ou “quero desaparecer”, podem indicar a necessidade de ajuda.

A ajuda pode vir de profissionais especializados, mas, é fundamental estabelecer uma rede de apoio com amigos, parentes, colegas de trabalho ou escola, professores, ou alguém que esteja próximo. Em Cariacica, seis unidades básicas de saúde contam com psicólogos. São as unidades de: Bela aurora, Cariacica-Sede, Itaquari, Jardim Botânico, Nova Rosa da Penha II e São Francisco.

Mas, também é possível contar conversar com voluntários do CVV – Centro de Valorização da Vida. Para isso, basta ligar para o telefone 188, gratuito, que funciona 24 horas. Também é possível mandar um e-mail ou falar pelo chat, que podem ser acessados pelo site www.cvv.org.br.

 

Saiba mais:

 

Unidade de Bela Aurora

Telefone: 3354-7009 / 3354-7000 / 3354-5070

 

Unidade de Cariacica-Sede

Telefone: 3354-7063 / 3354-7023

 

Unidade de Itaquari

Telefone: 3354-7046 / 3354-7011 / 3354-7045

 

Unidade de Jardim Botânico

Telefone: 3354-7005 / 3354-7056

 

Unidade de Nova Rosa da Penha II

Telefone: 3354-7003 / 3354-7064

 

Unidade de  São Francisco

Telefone: 3354-7026 / 3354-7043 / 3354-7042

 

Centro de Valorização da Vida – CVV
Telefone: 
188, gratuito, funciona 24 horas

E-mail ou chat: podem ser acessados pelo site www.cvv.org.br.

 

Data de Publicação: quarta-feira, 01 de setembro de 2021

ACOMPANHE O IPC

Endereço:
Rua Edgar Gonçalves, s/n - Campo Grande - Cariacica/ES
CEP: 29146-550

Telefone: (27) 3396-7544
E-mail: comunicacao.ipc@cariacica.es.gov.br

Atendimento ao público:
De segunda a sexta-feira, das 8 às 15h