Hipertensão: inimiga silenciosa da saúde

A hipertensão acomete mais de 38,1 milhões de brasileiros com 18 anos ou mais, o número equivale a 23,9% da população dessa faixa etária e é 2,5% maior do que o último registrado, de acordo com estudos médicos. A doença continua sendo uma das que mais causam mortes no país. Para chamar a atenção quanto a importância do tema, o dia 26 de abril foi instituído como o Dia Nacional de Prevenção e Combate a Hipertensão Arterial.

A hipertensão é um problema de saúde que se caracteriza pela elevação persistente da pressão sanguínea. De uma maneira geral, essa elevação é uma dificuldade do sangue em circular pelos vasos sanguíneos de todo nosso organismo apesar do bombeamento feito pelo coração. Essa dificuldade é multifatorial e pode ser agravada por condições de risco como o diabetes, a obesidade, ou mesmo pelo aumento dos níveis de colesterol.

Então, a hipertensão é a elevação da pressão do sangue dentro das artérias, ficando acima dos valores considerados normais e seguros. As artérias são vasos que saem do coração e levam o sangue oxigenado e com nutrientes para todas as células de nosso organismo. E o aumento da força do movimento do sangue dentro das artérias pode fazer com que o coração trabalhe com mais esforço, causando modificações em sua estrutura, alterando a parede das artérias, deixando-as mais estreitas e ajudando na formação de depósitos de gorduras.

A pressão arterial é medida em milímetros (mm) ou centímetros (cm) de mercúrio (Hg). Os níveis considerados normais são os de 120 por 80 mmHG, ou o “12 por 8” cm de Hg. Quando a pressão está maior do que 140 por 90 mmHG (14 por 9), ela é considerada alta e um médico deve ser consultado.

Num cenário de hipertensão, a dificuldade e o esforço provocados pela passagem sanguínea nos vasos podem provocar lesões nas artérias em todo organismo. As complicações da hipertensão arterial aparecem dependendo da extensão da lesão, da capacidade de recuperação do vaso e da região que ele irriga no organismo.

Inicialmente a hipertensão arterial não apresenta nenhum sintoma, e muitas vezes os sintomas que lhe atribuem, como dor de cabeça, sangramento pelo nariz, tonturas, falta de ar e outros, nem sempre são causados por ela.

Apesar disso, essa inimiga silenciosa aumenta o risco de problemas sérios de saúde, como o infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral (derrame), insuficiência cardíaca, insuficiência renal e comprometimento da visão por lesões na retina.

Você deve estar se perguntando: por que uma pessoa apresenta hipertensão arterial? Há diversos fatores de risco, controláveis e não controláveis, para a hipertensão.

- Fatores de risco controláveis

• Sobrepeso e obesidade - cerca de 70% dos homens e 61% das mulheres com hipertensão são obesos;

• Sedentarismo - a prática de exercícios físicos contribui para diminuição da pressão arterial e ainda previne outros fatores de risco, como o estresse e obesidade;

• Excesso de sal - é indicado consumir até 5g de sal diariamente. Quem consome acima desse valor está mais sujeito à hipertensão arterial;

• Álcool - o consumo de álcool aumenta a pressão arterial;

• Tabagismo - a nicotina faz o coração trabalhar mais, o que leva ao aumento da pressão arterial.

 

- Fatores de risco não controláveis

• Idade e sexo - mulheres a partir de 60 anos e homens até 50 anos são mais afetados pela hipertensão;

• Etnia - a doença é mais comum em negros;

• Histórico familiar - cerca de 90% dos casos são herdados dos pais.

 

 

         

Data de Publicação: terça-feira, 26 de abril de 2022

ACOMPANHE O IPC

Endereço:
Rua Edgar Gonçalves, s/n - Campo Grande - Cariacica/ES
CEP: 29146-550

Telefone: (27) 3396-7544 / 3396-7038
E-mail: comunicacao.ipc@cariacica.es.gov.br

Atendimento ao público:
De segunda a sexta-feira, das 8 às 15h